REDE DE VIZINHOS E VIZINHAS CONTRA A VIOLÊNCIA
Deputados se integram à campanha de combate à violência doméstica, que aumentou durante a pandemia
Olga Arnt - 14323 | Agência de Notícias - 09:00 - 03/07/2020 - Foto: Divulgação

A campanha Rede de Vizinhos e Vizinhas contra a Violência: vizinha eu te escuto, eu te protejo, eu denuncio, lançada pela Força-tarefa de Combate aos Feminicídios, ganhou reforço na Assembleia Legislativa. Deputados de diversos partidos se somaram à iniciativa, que já conta com a chancela da Comissão de Segurança e Serviços Públicos (CSSP). Os parlamentares têm gravado depoimentos para chamar a atenção da sociedade para a violência doméstica, fenômeno mundial que disparou durante a pandemia e que pode, inclusive, estar acontecendo na casa ao lado.

Os vídeos dos deputados têm 50 segundos e são veiculados nas redes sociais do Parlamento gaúcho, podendo ser compartilhados também em outros ambientes virtuais. “O confinamento aumenta os níveis de tensão familiar e isso pode aumentar os casos de agressão, especialmente, contra mulheres, crianças e adolescentes, que se vêem obrigados a conviver de forma ininterrupta com o agressor. Sensibilizar a sociedade é fundamental para vencer a violência doméstica”, alerta o presidente da CSSP, Jeferson Fernandes (PT).

Entre março e abril deste ano, só os casos de feminicídios cresceram 22,2% em 12 estados brasileiros em comparação com o mesmo período de 2019. Os dados constam no estudo intitulado Violência Doméstica durante a Pandemia de Covid-19, elaborado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), com base em dados coletados nos órgãos estaduais de segurança.

De acordo com o levantamento, o número de feminicídios subiu de 117 para 143 no período. Segundo o relatório, o estado em que se observa o maior agravamento é o Acre, onde o aumento foi de 300%, seguido do Maranhão, que registrou um aumento de 166,7%, e Mato Grosso, que iniciou o bimestre com seis vítimas e o encerrou com 15, contabilizando um incremento de quase 150%.

Entidades de defesa dos direitos das mulheres relatam que, em muitos estados, a abertura de boletins de ocorrência envolvendo violência doméstica diminuiu. Alertam, no entanto, que muito antes de ser motivo de comemoração, o fato aciona o sinal de alerta, evidenciando que o isolamento social aumenta as dificuldades para formalizar queixa contra os agressores, deixando as vítimas ainda mais vulneráveis.

© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão
Rede Vizinhos Contra Violência

PESQUISA DE NOTÍCIAS
Termo
Período
   


TV Assembleia

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul - Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000
Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30