PROCURADORIA DO MULHER
Exposição na Assembleia Legislativa aborda Lei Maria da Penha, que completa 16 anos em 2022
Olga Arnt - 14323 | Agência de Notícias - 15:31 - 15/03/2022 - Foto: Paulo Garcia
Ainda como parte das comemorações do 8 de Março, a Procuradoria Especial da Mulher da Assembleia Legislativa inaugurou, no início da tarde desta terça-feira (15),  a exposição Transformando Leis em Igualdade, que aborda a Lei Maria da Penha e sua aplicabilidade. O objetivo da mostra, segundo a procuradora Sofia Cavedon (PT), é dar visibilidade à legislação, que completa 16 anos em 7 de agosto de 2022, e promover a discussão sobre as atualizações já ocorridas. “A exposição é mais um instrumento que temos para mobilizar a sociedade em torno de um tema que é fundamental”, ressaltou.

Sofia anunciou ainda que a Procuradoria terá como uma de suas prioridades neste ano trabalhar para que leis já aprovadas pelo parlamento gaúcho “sejam uma realidade de fato na vida das mulheres”.

Lembrando a famosa frase de Maria da Penha, “a vida começa quando a violência acaba”, o presidente da Assembleia Legislativa, Valdeci Oliveira (PT), disse que a pauta de luta das mulheres será uma prioridade de sua gestão, que dever ser atuante no combate aos preconceitos e à violência de gênero e parceira nas ações de empoderamento da mulher. “O slogan Menos Indiferença, Mais Igualdade não pode ficar só na propaganda. Tem que expressar nosso esforço verdadeiro na construção de uma sociedade com mais inclusão, mais dignidade e respeito”, apontou.

 Movimentos sociais
A abertura da mostra foi acompanhada por feministas e representantes de entidades ligadas à luta pelos direitos das mulheres, como o Comitê Latino-americano para a Defesa dos Direitos da Mulher e a ONG Themis, Gênero, Justiça e Direitos Humanos. Também foi prestigiada  pelos deputados federais Elvino Bonh Gass e Henrqiue Fontana, ambos do PT, e pela primeira procuradora da Mulher do parlamento gaúcho, Stela Farias, que assume hoje a vaga deixada pelo deputado cassado Luís Augusto Lara, que perdeu o mandato por decisão da Justiça Eleitoral. 

 A cerimônia foi marcada também por críticas ao desmonte da rede de proteção às mulheres no Rio Grande do Sul e no Brasil e às “tentativas e manobras jurídicas” muitas vezes utilizadas para enfraquecer a Lei Maria da Penha. A diretora do comitê Rúbia da Cruz foi categórica ao afirmar que o estado não tem mais políticas públicas organizadas, apenas alguns espaços parlamentares para a defesa dos direitos das mulheres. O Poder Executivo, segundo ela, abandonou a pauta, enterrou as políticas e se dedica a “um faz de conta”, mesmo com o avanço do feminicídio, especialmente, durante a pandemia.

Já a representante da Themis Renata Jardim ressaltou que, apesar de ser uma das leis mais conhecidas no país, ainda há pouca informação sobre “como tirar a Maria da Penha do papel”.

A exposição pode ser visitada até a próxima sexta-feira (18), das 9h às 18h, no Espaço Deputado Carlos Santos, na entrada do Palácio Farroupilha.
© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão
Abertura da exposição Transformando Leis em Igualdade

PESQUISA DE NOTÍCIAS
Termo
Período
   


TV Assembleia

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul - Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000
Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30