PESCA
Legislação Pesqueira pretende organizar o setor, considerando a realidade do pescador
Marcela Santos - MTE 11679 | PT - 16:55 - 12/06/2019 - Foto: Celso Bender

Nesta quarta-feira (12), a Frente Parlamentar em Defesa do Setor Pesqueiro da Assembleia, realizou reunião de trabalho para discutir a Lei 15.233, que institui a Política Estadual de Desenvolvimento Sustentável da Pesca no RS. Entre os principais encaminhamentos, agendamento de reunião com o secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho, para garantir recursos no orçamento, e também com o Ministério da Agricultura.

Também foi constituída uma Comissão Executiva, instância da Frente Parlamentar, com representação de todas as regiões pesqueiras e as principais entidades do setor. Essa comissão terá como objetivo principal a construção e hierarquização das pautas dos setor, assim como construir um calendário regional de reuniões.

Dia 25 de junho será realizada reunião do Congapes, quando será apreciado o decreto que regulamenta a lei. Já no dia 28 do mesmo mês, a Secretaria da Aquicultura e Pesca (SAP), do Ministério da Pesca estará em Rio Grande e a Frente entregará documento com suas necessidades e prioridades.

Na avaliação do coordenador da Frente, deputado Zé Nunes (PT), a atuação da pesca no Rio Grande do Sul tem avançado em diversos temas e agregado valor aos seus dispositivos quando tutela os interesses das pescadoras e pescadores, os da sociedade no beneficiamento de uma alimentação rica em proteína animal e outros nutrientes, estabelecendo uma política consistente no desenvolvimento econômico e social da região. “Estamos convictos em relação a este regramento e sua constitucionalidade, inclusive no que se refere à preservação de espécies. Queremos efetivamente que haja pescado e que se tenha responsabilidade com a manutenção de um estoque pesqueiro para que o pescador possa sobreviver e continuar pescando”, defendeu.

Para o parlamentar, nunca houve o devido engajamento por parte do Estado, nem tampouco alguma ação organizada para que, de fato, a pesca fosse vista como atividade econômica de impacto social. “Com a Frente, demos início a esta ação de forma organizada, e considerando a realidade dos pescadores”, disse.

A Lei 15.223/18

Além da proibição da pesca de arrasto nas 12 milhas, a lei também cria um fundo da pesca, estabelece monitoramento do que se pesca, organiza a retomada da pesca como atividade econômica importante para a rendas dos município, contribuindo inclusive para a situação econômica do Estado, além de preservar, conservar e recuperar os recursos dos ecossistemas, prevenindo a extinção de espécies. Participaram da reunião a Federação dos Sindicatos da Pesca do RS, a delegação do Litoral Norte de Santa Catarina, liderada pelo prefeito do município de Penha, Aquiles da Costa (MDB), contrário à Legislação gaúcha e pescadores.

© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão
Sessão Plenária

PESQUISA DE NOTÍCIAS
Termo
Período
   


TV Assembleia

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul
Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000

Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30