ARTIGO
Alimentação saudável: um direito de todos
Leandro Molina- 14614 | PT - 12:24 - 16/10/2013

O Dia Mundial da Alimentação é celebrado no dia 16 de outubro em 150 países para marcar a criação da FAO (Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação), em 1945. Mas acima de tudo, tem por objetivo conscientizar a humanidade na busca pela erradicação da fome. Hoje, mais de um bilhão de pessoas passam fome, e quase metade do mundo vive com menos de US$ 2,50 por dia.

Em relação ao Brasil, há um dado relevante. Em 20 anos, o número de pessoas que passam fome foi reduzido em quase 10 milhões. Entre 1992 e 2013, o número de cidadãos brasileiros famintos caiu de 22,8 milhões para 13,6 milhões de pessoas. Em números absolutos, a redução de 40% no país é uma das maiores do mundo.

Mas apesar dos avanços, ainda é inaceitável a quantidade de pessoas famintas. A fome e a desnutrição são consideradas, em nível mundial, o principal risco à saúde. Há de se considerar ainda, que o crescimento previsto da população mundial até o ano 2050 será dos atuais 7 bilhões para 9,1 bilhões de pessoas (dados da Divisão de Populações da ONU), o que significa mais problemas à segurança alimentar.

Para enfrentar o aumento da população e o desafio resultante, a agricultura terá que duplicar a produção de alimentos saudáveis em 30 anos. Assim, governos precisam entender que o desenvolvimento e a mobilização de todas as formas de agricultura são essenciais para responder a este desafio. No Brasil milhares de pessoas são beneficiárias de programas para erradicação da pobreza extrema, como o Fome Zero e o RS Mais Igual, no Rio Grande do Sul, que asseguram o direito humano à alimentação. A iniciativa não elimina todos os problemas, mas, ao definir a erradicação da fome como politica de governo, sinaliza para o reconhecimento e seu enfrentamento.

A segurança alimentar do mundo deve figurar de forma contínua na agenda dos Estados e sociedade. Cabe lembrar que a agricultura familiar alimenta a mesa do brasileiro. O setor detêm 20% das terras e 30% da produção global de alimentos. Na dieta dos brasileiros, o segmento responde por 70% da produção nacional, e tem papel crucial na economia. Nesse cenário, a grande tarefa é seguir a organização dos pequenos agricultores e incentivar cada vez mais a produção.

Tratar o acesso à alimentação como direito dos cidadãos é um ato fundamental no processo de consolidação da segurança alimentar. Quando o alimento se torna um direito de todos, as pessoas ganham autonomia.

 

*Deputado Estadual - Edegar Pretto
Líder da Bancada do PT na Assembleia Legislativa RS

© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão
PESQUISA DE NOTÍCIAS
Termo
Período
   


TV Assembleia

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul
Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000

Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30