ARTIGO
Por um transporte com mais integração
Nelsinho Metalúrgico* | PT - 18:09 - 08/11/2013

O metrô de Madri serve aos seus mais de três milhões de habitantes através de uma das redes de maior extensão e qualidade em todo o mundo. São 2.281 vagões circulando por cerca de 300 quilômetros de trilhos. Madri tornou-se um exemplo para países interessados em qualificar seu transporte público. O assessoramento de engenharia e gestão para a implementação de seu modelo, oferecido pelos gestores locais, levou em 2012 mais de 50 delegações internacionais até a cidade. Madri constitui um conceito de governança de transporte público baseada no planejamento metropolitano, na integração tarifária e multimodal, com ênfase ao transporte urbano de passageiros e à excelência dos serviços à comunidade. Governo da Espanha, comunidade de Madri, municípios, empresas públicas e privadas colaboram estreitamente com este esforço.

Investigar em profundidade este modelo, a fim de buscar adaptações à nossa realidade e às nossas necessidades, foi o principal motivador da Missão Internacional realizada no âmbito das comissões de Segurança e Serviços Públicos e de Mobilidade Urbana. Fomos buscar conhecimento e estabelecer relações institucionais com os atores governamentais responsáveis pelo tema do Transporte Público nas regiões de Madri e Barcelona, na Espanha; e Lisboa, em Portugal; tendo em vista seu notável e reconhecido êxito em nível de operação, controle e gestão de sistemas de transporte público.

Em Barcelona, os cidadãos desfrutam de um dos melhores serviços de transporte público de toda a Europa Ocidental, com destaque para a área de cobertura, o conforto, a limpeza, a pontualidade e a eficiência, além do preço da passagem, subsidiado em cerca de 60% pelo Poder Público. O ticket integrado permite ao usuário viajar em cinco diferentes meios de transporte com um único bilhete. Há também a possibilidade de optar pela compra programada: por mês, por semestre ou por ano. E ganhar descontos progressivos.

Nesse contexto, os modelos de integração multimodal com controle público experimentados nos principais conglomerados urbanos da Europa Ocidental (muitos deles apresentados em diferentes oportunidades nos fóruns de autoridades locais das edições do Fórum Social Mundial), também recentemente debatidos na última edição do Fórum Mundial de Autoridades Locais de Periferia (FALP), realizado em Canoas entre os dias 11 e 13 de junho deste ano, servem de paradigma e exemplo funcional sob diversos aspectos, sobretudo no sentido de orientar correções e aperfeiçoamentos necessários à gestão do tema no nosso estado e suas regiões urbanas mais populosas.

Um dos principais problemas relacionados ao tema da mobilidade urbana é a falta de qualidade e capacidade de atendimento do transporte público. Nesse sentido, estamos convencidos da necessidade de integração dos sistemas (entre linhas municipais, metropolitanas, trensurb, transporte hidroviário), do controle público estatal de sistemas de bilhetagem e de um controle mais efetivo sobre os critérios de definição das tarifas. Cabe ao poder público encontrar as soluções que proporcionem um transporte com agilidade, conforto, eficiência e tarifas justas aos cidadãos e cidadãs das regiões metropolitanas e das cidades do interior.

*Deputado Estadual

© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão
PESQUISA DE NOTÍCIAS
Termo
Período
   


TV Assembleia

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul
Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000

Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30