ARTIGO
Pontos de Cultura: inclusão e diversidade
Ana Affonso* | PT - 11:01 - 03/02/2014

Os Pontos de Cultura formam uma das políticas mais transformadoras surgidas no País. Possibilitam a inserção social, econômica e cultural de grupos tradicionais, folclóricos e de comunidades distantes, economicamente menos favorecidos e historicamente à margem das políticas públicas. Promovem o protagonismo, a autonomia e a articulação em rede com produção colaborativa, compartilhamento de saberes e gestão articulada entre sociedade civil e poder público. Através deles e do recente processo de democratização do acesso aos recursos públicos povos quilombolas, comunidades indígenas, grupos de cultura tradicionais, comunitários, urbanos e rurais foram ganhando espaço e visibilidade.

A valorização dos Pontos de Cultura e a regulamentação da Lei Cultura Viva (PLC 70/2013), que institucionaliza a política nacional de cultura, educação e cidadania, foram dois dos temas mais debatidos por gestores, produtores, artistas e representantes do setor durante a Conferência Nacional de Cultura, realizada no final de 2013 em Brasília. A institucionalização dos Pontos de Cultura no estado também foi sugerida durante a audiência pública A Lei Cultura Viva e a Experiência dos Pontos de Cultura, realizada em dezembro pela Comissão de Educação e Cultura (CECDCT) da Assembleia Legislativa, na Casa de Cultura Mário Quintana.

Na ocasião, ao criticar a desconfiança e a burocracia que ainda predominam nas instâncias públicas, a comunidade cultural defendeu alterações no processo de financiamento e prestação de contas.  Precisamos, de fato, desburocratizar as relações entre Estado, sociedade e entidades que produzem cultura, ampliar a cidadania e os direitos culturais.

No Rio Grande do Sul, houve um progressivo incremento do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), que possibilita aporte direto de recursos para entidades e grupos culturais, mas é preciso ampliar os recursos para os Pontos e Pontões de Cultura. Hoje, a Rede RS Pontos de Cultura, articulada entre Ministério e Secretaria de Estado da Cultura, já selecionou 82 grupos e abriu edital para conveniar com mais 78, totalizando 160 grupos até o final de 2014.

É importante simplificar e flexibilizar os convênios e repasses dos recursos de Estado para entidades e grupos culturais informais, com contrapartidas justas e sem burocracia, ajudando os mais necessitados e culturalmente representativos. O Projeto de Lei que institui a Política Estadual de Cultura Viva (PL 410/2013), em tramitação na Assembleia Legislativa, busca justamente isto: fortalecer e ampliar os Pontos de Cultura, consolidando a estratégia de valorizar a diversidade cultural nas políticas públicas, proporcionando um novo olhar da sociedade para a cultura popular.

*Deputada Estadual (PT), presidenta da Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa

© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão
PESQUISA DE NOTÍCIAS
Termo
Período
   


TV Assembleia

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul
Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000

Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30