ARTIGO
É possível a Magistratura gaúcha dar o bom exemplo
Vinícius Ribeiro* | PDT - 16:55 - 28/10/2014

O pagamento de auxílio-moradia para a magistratura, para promotores e procuradores não condiz com a realidade orçamentária de nosso estado. Enquanto no executivo falta recurso para pagar o piso nacional do professor e para investir na saúde, segurança e infraestrutura, vemos, mais uma vez, os maiores salários sendo privilegiados.

A magistratura brasileira e gaúcha não precisam disso. A magistratura gaúcha é exemplo para todo o país e respeitada internacionalmente. No mesmo sentido, o Ministério Público reúne as Inteligências mais esclarecidas e preparadas.

Ora, no meu entendimento, mesmo se o orçamento público do Estado do Rio Grande do Sul estivesse equilibrado e conseguisse fazer frente aos desafios de desenvolvimento humano e econômico, haveria problema em oferecer auxílio para os juízes e promotores que não contam com residência oficial. Mas a realidade é outra. Se vemos programas habitacionais recebendo recursos para oferecer moradia digna aos trabalhadores com uma parcela de R$ 100,00 por mês, como podemos aceitar que apenas um funcionário público receba, a título de auxílio-moradia e livre de imposto de renda, mais de 40 vezes esse valor?

O impacto é gigantesco, na ordem de 100 milhões por ano, somente para juízes, desembargadores e Ministério Público. Por que não, com esses valores, melhorar a infraestrutura em primeira instância e agilizar os processos judiciais que demoram muito em função do acúmulo e da demanda elevada de julgamentos a fazer?

O Poder Judiciário necessita ser discutido da mesma forma que discutimos o Executivo e o Legislativo. A independência entre os poderes existe não para que cada um haja conforme sua necessidade, mas sim para que cada um haja conforme a exigência e a necessidade de quem nós representamos.

* Deputado estadual

© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão
PESQUISA DE NOTÍCIAS
Termo
Período
   


TV Assembleia

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul
Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000

Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30