ARTIGO
A irresponsabilidade como método
Alexandre Postal* | MDB - 11:20 - 27/02/2015

O PT tem se revezado no Parlamento e nos espaços de opinião para discorrer uma bateria de críticas contra o governo Sartori, o que é legítimo papel da oposição. Mas é nosso dever apontar o tamanho da contradição de quem ainda não compreendeu o estrondoso recado que a população gaúcha deu nas urnas. A arrogância, a falácia e as falsas promessas foram rejeitadas. Venceu a simplicidade e a sinceridade.

O conteúdo da comunicação petista usa como método a irresponsabilidade, mesma marca da última experiência do partido à frente do Governo do Estado. Ontem, neste espaço, o deputado Tarcísio Zimermann repetiu igual estratégia. Tenho respeito pelo colega, mas ele escreve como se o PT só tivesse acertado, enquanto todos os outros só teriam errado. É o velho monopólio do bem, da ciência e da ética – algo tão velho quanto a Guerra Fria. Convenhamos que, para evoluir, o Rio Grande do Sul precisa um debate mais elevado e construtivo – de parceria e construção, de altruísmo e solidariedade. De responsabilidade.

É assim que o governador José Ivo Sartori tem agido. E isso é de sua essência pessoal. O Estado está diante de um quadro financeiro difícil – isso é fato, não choro. Projetamos o ano de 2015 com uma falta de mais de R$ 5 bilhões para fechar as contas. Isso é resultado de um processo histórico, mas que foi enormemente agravado pelo governo Tarso: deixou mais de R$ 650 milhões de contas não pagas, aumentou a despesa muito mais do que a receita, fez R$ 4 bilhões em novas dívidas, esgotou a capacidade do Estado para novos empréstimos e sacou mais de R$ 7 bilhões do Caixa Único e dos depósitos judiciais. Convenhamos que os artífices desses números não são referência de boas práticas de governança.

O que Sartori está fazendo é agir com responsabilidade. Responsabilidade para buscar o equilíbrio financeiro, preservar os serviços essenciais, construir novas políticas públicas e preparar um novo futuro, com foco nos que mais precisam. Tudo isso sem fazer espetáculo, sem prometer o que não conseguirá cumprir, sem deixar-se tomar pela vaidade do poder. Não buscamos olhar para trás e tampouco rivalizar sem necessidade. Mas não deixaremos de apontar que, para avançar, todos precisam ter uma postura política coerente e responsável. Inclusive a oposição.

* Deputado estadual (PMDB), líder do Governo na Assembleia Legislativa

© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão
PESQUISA DE NOTÍCIAS
Termo
Período
   


TV Assembleia

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul
Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000

Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30