ARTIGO
Os resultados da irresponsabilidade fiscal
Gabriel Souza* | MDB - 12:44 - 02/06/2016

O sinal vermelho foi aceso: o Estado brasileiro está gastando mais do que sua arrecadação em níveis jamais vistos, criando déficits bilionários, impossibilitando o pagamento das despesas públicas - mesmo as mais básicas - como saúde, educação e, em alguns casos, até mesmo a folha de pagamento de seus servidores.

Um dos pilares da “nova matriz econômica” do PT, essa política fiscal, em longo prazo, produz tal resultado. Gastar mais do que a arrecadação, elevar as despesas acima do crescimento da receita, agir com irresponsabilidade fiscal é, no fim das contas, um mau negócio para o país.

Os defensores da política fiscal que expande os gastos públicos acima do crescimento da receita (autodenominados “desenvolvimentistas”) acreditam que seria exatamente isso que traria o desenvolvimento e, por consequência, uma espécie de feedback positivo de crescimento da arrecadação. O rombo originado por essa espécie de brincadeira de “gato e rato” da despesa x receita é chamado por eles de “déficit indutor do crescimento”.

Ou seja, para eles criar mais despesas produz desenvolvimento, que gerará mais receita, o que cobrirá os gastos que foram criados e assim por diante.

Mas, o que deu errado? O problema dessa política é que, ao gerar déficits bilionários, há um momento em que a receita parará de expandir e, ao contrário do que pregam, entrará em declínio. Esse é o resultado da recessão econômica gerada pela crise de credibilidade do país que, inadimplente com seus compromissos em virtude do alto déficit, afugenta investimentos e paralisa a economia.

A meta fiscal de R$ 170,5 bilhões negativos do governo federal aprovada pelo Congresso Nacional e o déficit de R$ 6,4 bilhões em 2016 no Rio Grande do Sul mostram bem a que ponto chegamos. O Estado brasileiro penará durante algum tempo para equilibrar suas contas e conseguir voltar a promover os investimentos públicos que geram desenvolvimento econômico sustentável.

* deputado estadual e líder da bancada do PMDB/RS

© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão
PESQUISA DE NOTÍCIAS
Termo
Período
   


TV Assembleia

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul
Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000

Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30