ARTIGO
Por que não liberar a vacina para todos?
Pedro Pereira* | PSDB - 10:55 - 09/06/2016

Na condição de médico há 33 anos, conheço bem o sistema público de saúde. Diante das estatísticas referentes à gripe A, posso afirmar com segurança que o número de mortes é muito maior do que os divulgados pelas autoridades de saúde. Não se trata de alarmismo, mas a situação é bastante grave.

Faltando poucos dias para o início do inverno, crianças, jovens, adultos e idosos estão morrendo de gripe. Mas não é uma gripe normal, é a que acaba com o sistema imunológico de qualquer um, a influenza H1N1. A morte causada por gripe deve ser tratada como um fracasso do poder público. Os responsáveis pela saúde estão demonstrando ineficiência no combate dessa epidemia, assim como acontece na luta contra o mosquito Aedes aegypti, responsável por centenas de óbitos em todo o Brasil, vítimas da dengue, da chikungunya e do zika vírus.

Todos os anos é a mesma ladainha. Os casos de pessoas infectadas pelo vírus H1N1 vão surgindo e nós ficamos amedrontados. O governo, então, anuncia a campanha de vacinação, que na minha opinião é tardia. E, devido a essa demora, quem tem dinheiro se vacina em clínicas particulares, antes mesmo do início da campanha de vacinação pública.

Segundo o IBGE, o Rio Grande do Sul tem 11,2 milhões de habitantes e, incrivelmente, pouco mais de 3 milhões de pessoas têm o direito de serem imunizadas na rede pública. Essa é a realidade que precisa mudar. É necessário que o governo do Estado pressione o Ministério da Saúde e consiga mais vacinas para a população.

Enquanto isso não acontece, na Assembleia Legislativa, projetos de lei que tratam sobre esse tema estão parados. Para se ter uma ideia, desde 2013, o PL 149, de minha autoria, tramita na Comissão de Constituição e Justiça. A matéria tem a finalidade de ampliar o público-alvo da imunização, incluindo pessoas que convivem em ambientes escolares, repartições públicas e em todos os locais compostos por mais de 10 indivíduos para a realização de qualquer atividade. O projeto obriga, ainda, que a campanha de vacinação seja realizada em março. Caso essa realidade não mude, qualquer um pode ser a próxima vítima.

*Deputado estadual, líder da bancada do PSDB na Assembleia Legislativa

© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão
PESQUISA DE NOTÍCIAS
Termo
Período
   


TV Assembleia

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul
Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000

Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30