ARTIGO
Emergência para os hospitais
Ronaldo Santini * | PTB - 11:34 - 09/06/2016
A situação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos é caótica e os problemas necessitam de solução imediata, pois são muitos os hospitais que estão sendo obrigados a suspender atendimentos, a fechar unidades e a despedir servidores. Cerca de 1,2 mil pessoas prestigiaram a reunião das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos na AL/RS, evento organizado pela Frente Parlamentar de Apoio às Santas Casas, da qual sou coordenador, com a participação das Federações das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos e dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde. O tema foi a realidade financeira da rede hospitalar filantrópica, seus reflexos nos trabalhadores e no atendimento à população.
 
Duzentas e quarenta e cinco Santas Casas e Hospitais Filantrópicos atendem mais de 70% da demanda do SUS, ou seja, um universo de aproximadamente 7 milhões de pessoas em 197 municípios do Estado. Na maioria dos casos, trata-se do único hospital da cidade. Essas instituições são responsáveis por cerca de 550 mil internações/ano e empregam 65 mil pessoas.
 
Há quatro anos, os hospitais tinham um déficit anual de R$ 313 milhões. Há uma preocupação com a sobrecarga de serviços e com os 18 mil trabalhadores que, cansados e com seus salários atrasados, ameaçam paralisar suas atividades, o que é muito grave, porque vidas serão atingidas. Cinco mil trabalhadores saíram em férias e não receberam os salários, 6 mil trabalhadores foram demitidos, 3.500 leitos fechados, mais de 4 milhões de procedimentos deixaram de ser realizados, 60% das instituições têm dívidas com os profissionais médicos. O endividamento total destes hospitais já ultrapassa R$ 1,4 bilhão.
 
Juntamente com os colegas deputados Sérgio Peres (PRB) e Liziane Bayer (PSB) estou propondo a liberação dos jogos e cassinos no Rio Grande do Sul, como nova fonte de recursos para financiamento na área da saúde. Esta seria uma saída emergencial a grave crise da saúde. Igualmente, seria importante a recriação da Loteria do Estado (Lotergs) com parte do valor arrecadado destinado à saúde.
 
Como coordenador da Frente Parlamentar de Apoio as Santas Casas e Hospitais Filantrópicos, entendo que é necessário encontrar novas formas de arrecadação, que não onerem ainda mais a população com a criação de novas tarifas e impostos. A destinação de recursos para os hospitais decide entre a vida e a morte das pessoas. Então, deixo meu apelo ao Governo do Estado para que reabra a discussão para encontrar uma forma de quitar esta dívida dos hospitais.
 
 *Deputado Estadual (PTB) - Coordenador da Frente Parlamentar de Apoio as Santas Casas e Hospitais Filantrópicos
© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão
PESQUISA DE NOTÍCIAS
Termo
Período
   


TV Assembleia

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul
Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000

Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30