ARTIGO
O pacote do descompromisso
Juliano Roso* | PC do B - 11:22 - 22/11/2016
O pacote anunciado pelo governo Sartori coloca em xeque o papel do Estado como indutor do desenvolvimento local. Depois do aumento do ICMS, da concessão de estradas por 30 anos, e da precarização dos serviços públicos, o governo estadual lança mão de uma prática iniciada em 1995 pelo então governador do PMDB Antonio Britto.
 
A política do Estado mínimo, inspirada no governo da primeira ministra britânica Margaret Tatcher (citada por Sartori durante lançamento do pacote), penaliza aqueles que mais precisam do Estado: os mais pobres. Esses governos apostam na privatização e na precarização dos contratos de trabalho para vencer a crise. Mas todo esse arrocho festejado por parcela da sociedade, que não utiliza a saúde e a educação pública, já foi colocado em prática em outros momentos.
 
Além de Britto, a ex-governadora Yeda Crusius trilhou o mesmo caminho. Mas como vemos, a venda de estatais e o encolhimento do Estado não surtiram efeito. Agora, Sartori quer extinguir nove fundações. Entre elas, a Fundação de Ciência e Tecnologia (Cientec) e a Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro), órgãos fundamentais para a produção científica gaúcha. A ciência, tão valorizada nos países desenvolvidos, é vista como gasto em nosso Rio Grande. Mas a entrega não se dá somente na área de pesquisa. Setores estratégicos da economia também são alvo de cobiça do setor empresarial.
 
A Companhia Riograndense de Mineração (CRM), a Sulgás e a CEEE estão na mira do governo. A incapacidade de gestão nesses casos torna mais fácil repassá-la para entes privados. O pacote propõe também a extinção da Corag, empresa superavitária. Mas incoerentemente mantém o Tribunal de Justiça Militar a um custo de R$ 40 milhões anuais. O boato de que Sartori não tinha projeto, mas apenas concluiria algo iniciado na década de 1990, se concretiza. A entrega do Estado e a precarização do serviço público é a saída encontrada para vencer o adverso. Tempos difíceis para o nosso Rio Grande.
 
*Deputado estadual (PCdoB)
© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão
PESQUISA DE NOTÍCIAS
Termo
Período
   


TV Assembleia

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul
Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000

Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30