CÓDIGO DE ÉTICA
Subcomissão apresenta proposta para modernizar o Código de Ética da Assembleia Legislativa
Paulo Roberto D Agustini - MTE 13326 | PP - 15:47 - 01/12/2017 - Foto: Divulgação

Com o propósito de modernizar o Código de Ética Parlamentar, foi instalada em junho uma subcomissão junto à Comissão de Ética da Assembleia Legislativa para avaliar uma reforma no texto. O resultado desse trabalho foi apresentado esta semana pelo deputado Sérgio Turra (PP), que sugeriu a formação do grupo e assinou o relatório final. Turra, que também relatou o processo de cassação do ex-deputado Mário Jardel (PSD), disse que as alterações são necessárias em razão da defasagem do Código, elaborado em 1993. "Mais de 20 anos se passaram entre a redação das regras e sua efetiva utilização.

A experiência demonstrou que o texto possui diversas lacunas que podem prejudicar o andamento dos processos", afirmou. Em 180 anos de história, o Parlamento Gaúcho passou, do início ao fim, por apenas dois processos de perda de mandato: em 2015, do ex-deputado Dr. Basegio (PDT), e em 2016, de Mário Jardel. A subcomissão, que contou com a participação dos deputados Marlon Santos (PDT) e Juliano Roso (PCdoB), realizou visitas técnicas aos Conselhos de Ética do Senado Federal e da Câmara dos Deputados.

A reforma proposta pelo grupo altera ou inclui 30 artigos do texto do legislativo gaúcho. "Buscamos atualizar o Código, definindo prazos mais curtos, estabelecendo ritos processuais, ampliando a autonomia da comissão e eventuais relatores e, claro, garantindo a ampla defesa. Foi uma construção conjunta", disse Sérgio Turra. O relatório deve ser analisado pela Comissão de Ética até o final de 2017. Depois, o projeto de resolução com as propostas será encaminhado à Comissão de Constituição e Justiça e, após, passará por votação em plenário.

Confira as principais alterações sugeridas ao Código de Ética Parlamentar:

  • Deputado ou suplente que responda a processo de cassação ficará impedido de participar da Comissão de Ética;
  • O deputado representado na Comissão que solicitar licença para tratamento de saúde deve passar por inspeção de junta médica oficial;
  • A suspensão do mandato do titular leva à convocação imediata do suplente;
  • Definição de critérios mínimo e máximo para aplicação de pena de suspensão do exercício do mandato;
  • O corregedor terá 45 dias para definir a instalação de processo disciplinar. O relator, 90 dias para o parecer;
  • Depoimentos de testemunhas do processo serão realizados em um único dia, com possibilidade de videoconferência;
  • Determinação para que, a partir do recebimento da representação, o deputado se torne acusado, impedindo que eventual renúncia produza efeitos sobre o processo disciplinar.
© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão
Deputados

PESQUISA DE NOTÍCIAS
Termo
Período
   


TV Assembleia

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul
Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000

Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30