SESSÃO PLENÁRIA
Pronunciamentos na tribuna nesta quarta-feira
Francis Maia* - MTE 5130 | Agência de Notícias - 16:55 - 28/03/2018 - Edição: Sheyla Scardoelli - MTE 6727 - Foto: Marcelo Bertani
Sessão plenária de quarta-feira, 28 de março
Sessão plenária de quarta-feira, 28 de março

Na sessão plenária desta quarta-feira (28), na Assembleia Legislativa, deputados e deputadas utilizaram a tribuna para comunicações de lideranças. A íntegra das manifestações pode ser ouvida no endereço www.al.rs.gov.br/legislativo , em áudios das sessões.

O deputado Juliano Roso (PCdoB) abordou da tribuna as constantes limitações e retrocessos que estão sendo dadas à educação pública no Estado e no país. Referiu o protesto ontem (27) de professores, diante da medida do governo do Estado que retira das escolas a possibilidade de o aluno optar por uma língua estrangeira. A opção pela língua inglesa ou espanhola está em risco, conforme informou, diante da medida governamental que deverá oferecer apenas uma alternativa de estudo de língua estrangeira aos alunos da rede pública. Ele apoia o projeto da deputada Juliana Brizola (PDT), que busca assegurar a opção na escola. A outra ameaça, mais grave, diz respeito à informação de que o governo Temer, a partir do Ministério da Educação, pretende autorizar que 40% do Ensino Médio seja em modo de educação a distância, e a Educação de Jovens e Adolescentes, o EJA, 100% a distância. “A figura do professor é insubstituível na sala de aula”, ponderou o deputado, que também é educador. Disse que se trata da mercantilização da educação, “interesses de grupos econômicos que trabalham com essa modalidade e não contente em disputar o mercado do ensino superior, querem abocanhar parte dos recursos do Ensino Médio e do EJA”.

O deputado Frederico Antunes (PP) registrou iniciativas que alcançam a região da Fronteira, como o início das obras do trevo da rótula na BR-290, frente à Unipampa de São Gabriel, atendendo pedido da comunidade escolar, do prefeito Rossano Gonçalves e das entidades de classe locais. O DNIT confirmou R$ 1,5 bi para a obra, que deverá iniciar em 30 dias, com previsão de 120 dias para conclusão. A outra notícia diz respeito às cidades gêmeas beneficiadas pela Instrução Normativa 1.799 da Receita Federal, que incluiu também os municípios de Barracão e Porto Mauá, no Rio Grande do Sul, e Santo Antônio do Sudoeste, no Paraná, que tinham ficado fora da lista das 32 cidades que poderão ter as lojas francas, os Free Shops. Também destacou manifestação do Serpro a respeito do programa de implantação do PL dos Free Shops, a ser finalizado dia 23 de abril, data em que os investidores nacionais e estrangeiros poderão requerer os alvarás de funcionamento. Por último, abordou o apoio formalizado hoje (28) pelo Instituto Cultural Floresta, no Shoping Iguatemi, que atraiu 55 empresas para contribuírem na compra de 46 viaturas blindadas e equipadas, além de armamentos, equipamentos e novas tecnologias entregues aos órgãos de segurança do Estado. Elogiou a atuação do secretário da pasta, César Schirmer, e o empenho do governo em promover ações para reduzir a insegurança e o medo da populaão.

O deputado Zé Nunes (PT) tratou da difícil situação na Região Sul, no Centro-Sul do Estado e Campanha, que sofrem as consequências de longa estiagem, desde dezembro de 2017. Lavouras, redução na colheita de soja e milho, e na produção leiteira refletem-se na renda das famílias e na economia dos municípios dessas regiões. Disse que no último sábado, audiência pública conjunta com o Senado Federal, em São Lourenço do Sul, tratou do assunto, uma vez que até o momento nem o governo estadual nem o federal têm formalizado ações de apoio aos municípios. Trinta deles estão com situação de emergência decretada e homologada, mas sem qualquer sinalização das autoridades públicas. Nem mesmo a Defesa Civil ou o Ministério da Integração se manifestaram, reclamou da tribuna. “É como se não tivéssemos governo”, lamentou, embora o cenário da estiagem seja o pior em 15 anos.

A deputada Regina Becker Fortunati |(Rede) informou sua participação em Brasília, na semana passada, do Forum Mundial da Água, pela Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo da Assembleia. Do evento participaram mais de 40 mil pessoas e 178 países, que trataram de problemas enfrentados pelo planeta, como a crise hídrica, e projetos que estão sendo implantadas no mundo para superar a falta de água. Disse que o Brasil detém 11% da agua doce do planeta, e 20% da fauna e da flora do mundo, mas “infelizmente, do total de 11% de malha hídrica doce, em torno de 85% está poluída”. Relatou projetos na India, México e na Europa que buscam resgatar espaços poluídos e ameaçados. Revelou que até 2022, todas as capitais brasileiras, com exceção de Porto Alegre e Manaus, enfrentarão crise hídrica violenta, “não será possível assegurar o abastecimento da população”. Falou, também, da ameaça ao Aquífero Guarani, cuja exploração está sendo concedida pelo governo Temer à Coca-Cola e Nestlé.

O deputado Tiago Simon (PMDB) utilizou seu tempo na tribuna para reverenciar a Igreja de Jesus Cristo. Destacou seu vínculo familiar cristão, através de seu pai, Pedro Simon, cujos valores incorporou através da família, da escola e da igreja. “Graças a Deus eu pude herdar esses mesmos valores, que também moldaram a minha vida, e principalmente no dia em que eu pude tomar minha decisão por Jesus Cristo”, enaltecendo a figura religiosa e dando reconhecimento à sua pregação, em especial suas últimas palavras, deixadas no Evangelho de Mateus, Capítulo 28, onde diz que “toda a autoridade me foi dada no céu e na terra, ide, portanto, e fazei discípulos de todas as nações, batizando em nome do Pai, do Filho, do Espirito Santo, e estarei convosco todos os dias até a consumação dos séculos”. O deputado destacou o papel do cristianismo na história da civilização ocidental, em especial das nações que receberam os princípios do Evangelho e se desenvolveram, como os Estados Unidos da América, cuja Constituição foi elaborada por legisladores consagrados a Deus. Na semana da celebração da morte e ressurreição do Filho de Deus, pediu que um tempo seja dado à reflexão, porque “o Deus que nós conhecemos não é um Deus distante, é um Deus presente, é um Deus vivo, que fala ao nosso coração”.

O deputado João Fischer (PP) se manifestou sobre os episódios envolvendo a caravana do ex-presidente Lula nos estados do Sul. O parlamentar disse que “tudo o que a caravana colhe foi plantado pelo PT”. Afirmou que nem tudo o que está sendo divulgado é verdadeiro e que não acredita que os produtores rurais sejam responsáveis pelos tiros disparados na terça-feira (27) contra um dos ônibus que integra a caravana. “Os produtores não são bandidos, não são ladrões. São pessoas de bem que querem trabalhar e fazer o País crescer, independentemente de quem seja o presidente. Os benefícios que recebem para ter competitividade são normais em qualquer parte do mundo”, declarou. Fischer disse ainda que o PT, o MST e a CUT não “respeitaram a dignidade das pessoas, que sempre acreditam no Brasil, ameaçaram, intimidaram e propagaram o ódio a ponto de empresas, como a MWM (antiga Massey Ferguson), não ficarem no Rio Grande do Sul por causa do “clima de radicalidade”.

* Colaboração de Olga Arnt

© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão
Sessão Plenária

PESQUISA DE NOTÍCIAS
Termo
Período
   


TV Assembleia
Rádio Assembleia
FÓRUM SOCIAL MUNDIAL DA POPULAÇÃO IDOSA, PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E DIVERSIDADES
FÓRUM SOCIAL MUNDIAL DA POPULAÇÃO IDOSA, PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E DIVERSIDADES
» Veja mais

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul
Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000

Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30