MAQUINÉ
Estado abdica de processo e garante posse da terra a Mbya Guaranis
Andréa Farias - MTE 10967 | PT - 16:45 - 14/12/2018
O caso das 30 famílias de Mbya Guarani que ocupam área pertencente à extinta Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro), em Maquiné, desde janeiro de 2017, e reivindicam a posse do terreno como terras indígenas terá, enfim, um desfecho positivo. A justiça Federal extinguiu processo que reivindicava a posse do terreno, após a desistência do Estado em cobrá-la.  A solução decorre de uma construção amigável entre a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR), a Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi) a Procuradoria Geral do Estado do RS (PGE/RS), a Comissão de Cidadania e Direitos Humanos do Legislativo (CCDH), o Conselho Estadual de Povos Indígenas (Cepi), e movimentos sociais organizados que, há nove meses, fazem a mediação junto aos Poderes.

No dia 2 de março passado, um juiz da Vara Federal de Capão da Canoa havia concedido a reintegração de posse das terras a pedido da Procuradoria Geral do Estado. Representantes das famílias procuraram a CCDH, que realizou uma audiência pública para tratar do assunto e passou a mediar as tratativas juntamente com a Cepi, a PGE e SDR. Na ocasião, conseguiram adiar o prazo para a reintegração. “Ficamos bastante otimistas porque já na audiência houve consenso quanto a necessidade de encontrar uma solução pacífica para a Retomada. A própria PGE/RS mostrou-se disposta a negociar”, lembrou o presidente da CCDH, deputado Jeferson Fernandes (PT).

O parlamentar chegou a reunir-se com o secretário de Agricultura, Pecuária e Irrigação, Odacir Klein, que à época, disse que as tratativas seriam encaminhadas pela SDR e que havia clima favorável a um desfecho satisfatório para as famílias indígenas. Por fim, SDR e Seapi, em reconhecimento à relevância dos interesses sociais envolvidos, decidiram abrir mão do terreno de Maquiné para a efetivação definitiva do assentamento indígena Guarani. “Visitei a Retomada Guarani e vi de perto o quanto aquela área é bem utilizada pelas famílias e o quanto eles estão identificados com aquela terra”, contou o deputado. Ele crê que a audiência pública foi oportunidade para que o governo conhecesse melhor a história dos Guaranis e compreendesse a legitimidade do pedido. “Este encontro entre os Poderes e os indígenas foi fundamental para que víssemos as famílias e entendêssemos que Parlamento, Estado e Judiciário precisavam se comprometer com estas pessoas. E foi que ocorreu. Ficamos felizes em participar desta construção”, finalizou Jeferson.

O processo administrativo de destinação do terreno ainda aguarda os trâmites finais a cargo da SDR.

© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão
PESQUISA DE NOTÍCIAS
Termo
Período
   


TV Assembleia

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul
Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000

Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30