TRIBUNA
Deputados petistas questionam postura entreguista do presidente nos EUA
Claiton Stumpf - MTE 9747 | PT - 16:25 - 20/03/2019

A postura adotada pelo presidente Jair Bolsonaro em viagem aos Estados Unidos da América (EUA) nesta semana foi abordada pelos deputados petistas Zé Nunes e Pepe Vargas nesta quarta-feira (20). Os dois utilizaram a tribuna na sessão ordinária da Assembleia Legislativa para chamar a atenção para o vexame causado à imagem do país pelas declarações feitas pelo chefe do Executivo brasileiro, mas principalmente para os prejuízos que a política externa que começa a ser adotada deverá causar à economia brasileira e, especialmente à gaúcha.

De acordo com o deputado Zé Nunes, as declarações de Bolsonaro colocaram o povo brasileiro em situação de constrangimento. Especialmente para os seus seguidores que inflamam o sentimento de nacionalismo, visto que o presidente elegeu-se apregoando defender o verde-amarelo e incentivando que o povo cante o hino nacional como sinal de amor à pátria. “Aqui ele faz isso, mas nos EUA teve postura que não condiz em nada com o cargo que ocupa e tem envergonhado qualquer nacionalista. Começou falando mal dos brasileiros que trabalham nos estados Unidos. Colocou-se em uma postura de submissão perante ao presidente dos EUA. Comportou-se como um colonizado”, disparou.

A postura subserviente e o despreparo do presidente, a que se referiu o parlamentar, foi expressa na rede CNN e nas principais redes de comunicação dos EUA. “Adotou uma postura de puxa-saco do presidente norte-americano. Não vamos chegar a lugar nenhum sem resgatar o nosso valor”, sustentou Zé Nunes, lembrando que Bolsonaro entregou a soberania brasileira ao abrir a base de Alcântara para facilitar o domínio americano, inclusive bélico.

O entreguismo de Bolsonaro também ficou evidente no campo comercial, pois ao contrário do que o presidente chegou a insinuar em entrevistas, o Brasil sempre foi parceiro comercial dos norte-americanos e chegou a ampliar essa relação durante o governo Lula. Contudo, a diferença é que o atual presidente tem adotado uma postura diante das relações internacionais que já está trazendo sérios problemas para o país e para a economia do Rio Grande do Sul. “Qual a vantagem que o Brasil tem em aderir à OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico)? O que ela nos dá? Vamos aderir só para dizermos que agora fazemos parte do clube dos ricos, esse é o objetivo?”, questionou o deputado Pepe Vargas.

O deputado ainda chamou a atenção para o risco de prejuízos com as decisões que Bolsonaro tem adotado por motivação ideológica, podendo trazer consequências aos produtores brasileiros. “Conforme a guerra fiscal em que entrarmos, nossos setores de soja e carne vão perder muito. É preciso agir de acordo com os interesses do país. Bolsonaro não tem esse direito de ir contra os interesses da economia nacional porque quer ser bem recebido por Trump (Donald, presidente)”, sentenciou Pepe.

© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão
PESQUISA DE NOTÍCIAS
Termo
Período
   


TV Assembleia

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul - Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000
Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30