DESENVOLVIMENTO
Medida de Bolsonaro coloca economia solidária como um braço da assistência social
Marcela Santos Mtb 11679 | PT - 17:07 - 20/03/2019 - Foto: Marcelo Bertani

Como coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Economia Solidária da Assembleia Legislativa, o deputado Zé Nunes (PT), recebeu com indignação a notícia de que o presidente rebaixou um setor estratégico para o desenvolvimento como a economia solidária, a apenas um braço da assistência social. “É exatamente o contrário do que temos defendido ao longo dos anos. Isso põe fim a tudo que foi conquistado", declarou.

Ao menos 11 conselhos de participação social estão com suas atividades paralisadas e até mesmo extintas desde que a Medida Provisória 870 foi publicada, em janeiro deste ano, pelo presidente Jair Bolsonaro, alterando as atribuições e a estrutura dos ministérios e dos órgãos ligados à Presidência da República.

Zé Nunes lembra que o Brasil já foi exemplo para o mundo neste setor. “Temos empreendedores solidários em todo país. Isso é resultado de políticas nacionais específicas e de muita gente trabalhando de forma entusiasmada e conjunta. Paul Singer já dizia: a economia solidária é a única alternativa ao capitalismo, pois o essencial está na segunda parte da expressão: a solidariedade. O presidente desconhece isso”, lamentou.

© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão
Grande Expediente

PESQUISA DE NOTÍCIAS
Termo
Período
   


TV Assembleia

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul
Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000

Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30