PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS
Luciana Genro propõe que prazo para implementação da lei Kiss volte a ser lei
Débora Fogliatto - MTE 17.423 | PSOL - 10:33 - 27/09/2021 - Foto: Reprodução Fotografia / ALRS
A deputada estadual Luciana Genro (PSOL) protocolou um Projeto de Lei Complementar (PLC 317/2021) que retira do governador o poder de seguir adiando a eficácia da Lei Kiss. A medida estabelece a volta de um prazo legal para implantação do PPCI em edificações no estado, como era o espírito original da norma aprovada em 2013.

A data atual, que deve ser cumprida por todas as edificações no estado, é 27 de dezembro de 2023, estabelecida em decreto do governador. Pelo PLC da deputada, ela passaria a ser lei e não poderia mais ser adiada por decreto do Executivo.

O projeto busca garantir o compromisso feito com a sociedade gaúcha em 2013, quando a Lei Kiss entrou em vigor. Quando aprovada a norma, o Parlamento estipulou que até o final de 2018 todos os edifícios do estado deveriam estar plenamente adaptados. O prazo foi sendo flexibilizado e descaracterizado por uma série de alterações desde então, até que a Assembleia transferiu ao governador o poder de determinar livremente uma data limite a ser respeitada.

“Se, desde 2018, todas as adaptações estivessem feitas, como primeiramente foi determinado na Lei Kiss, é altamente provável, por exemplo, que o sistema hidráulico de emergência do prédio da SSP estaria em pleno funcionamento, permitindo que os bombeiros, que foram tão céleres e bravos, tivessem tido condições de fazer o seu trabalho, pondo fim às chamas,” justifica Luciana Genro. 

Com o passar dos anos uma série de leis e decretos foi desidratando a força normativa da legislação, a ponto de que hoje, oito anos após o incêndio de Santa Maria, a Lei Kiss ainda não produziu os seus efeitos de forma plena. O governador Eduardo Leite fixou seu prazo de cumprimento para o ano de 2023, mas pela redação atual da lei, nada impediria que o próximo governante adiasse novamente a data para seu cumprimento.

A proposta da deputada traz o prazo de implementação de volta para o texto legal, reafirmando o compromisso do Parlamento com a mudança de paradigma de segurança contra incêndios prometida ainda em 2013, após a tragédia na boate Kiss.

A proposta foi desenvolvida após Luciana Genro coordenar a Comissão de Representação Externa que acompanhou as investigações sobre o incêndio ocorrido na Secretaria de Segurança Pública (SSP-RS), que resultou em um relatório com 79 páginas que contêm detalhes de depoimentos prestados e recomendações para o Legislativo, Executivo e Ministério Público a respeito da tragédia, visando evitar que situações como essa se repitam.  

O documento, porém, foi rejeitado pelos deputados da base do governo e foi apresentado individualmente pela deputada aos órgãos competentes. 
© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão
Comissão de Representação Externa para acompanhar as investigações do incêndio no prédio da Secretaria de Segurança Pública

PESQUISA DE NOTÍCIAS
Termo
Período
   


TV Assembleia
Rádio Assembleia

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul - Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000
Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30