ARTIGO
Dependência econômica torna mulher mais vulnerável à violência doméstica
Zilá Breitenbach* | PSDB - 10:52 - 17/01/2022 - Foto: Celso Bender

Uma em cada quatro brasileiras acima de 16 anos sofreu algum tipo de violência ao longo dos últimos doze meses no país. Desse total, 25% apontaram a perda de renda e emprego como os fatores que mais influenciaram na violência que vivenciaram em meio à pandemia.

Os dados são da pesquisa “Visível e Invisível”, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que ouviu 2079 homens e mulheres, em 130 municípios brasileiros, mostrando como a pandemia contribuiu para expor as mulheres à violência doméstica.

Em março, outro estudo, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), mostrou que a crise do Covid-19 derrubou a participação das mulheres no mercado de trabalho a 45,8% no terceiro trimestre de 2020, nível mais baixo desde 1990.

Com isso, o tempo de convívio em casa das vítimas com os agressores aumentou nesse período, ficando muitas delas sem acesso aos meios digitais para pedir socorro. Mulheres coagidas e intimidadas, que não conseguiram procurar uma delegacia, e outras que ainda nem pensam em fazê-lo, por medo de não ter como sustentar seus filhos.

A dependência financeira, somada ao medo do agressor, e à vergonha, sempre desencorajou as mulheres a denunciar a violência sofrida em casa, o que agora ficou mais evidente. Tudo isto me motivou a apresentar um projeto de lei, que foi votado e aprovado no mês de dezembro, que prevê o encaminhamento da mulher vítima, em condições de empregabilidade, para a capacitação profissional.

A ideia é aumentar a autoestima delas, facilitando a entrada no mercado de trabalho, dando independência econômica e emocional, para que possam transpor a barreira financeira e quebrar o ciclo de agressões.

Cada emprego conquistado por uma vítima capacitada livra uma mulher da violência doméstica. Só ela já seria uma vitória, mas, cada ato afirmativo e de coragem servirá de exemplo para outras. A capacitação, então, significará mais do que a liberdade, será a esperança de vidas prósperas e melhores.

*Deputada estadual e presidente do PSDB Mulher/RS

© Agência de Notícias
Reprodução autorizada mediante citação da Agência de Notícias ALRS.
© Agência de Notícias
As matérias assinadas pelos partidos políticos são de inteira responsabilidade dos coordenadores de imprensa das bancadas da Assembleia Legislativa. A Agência de Notícias não responde pelo conteúdo das mesmas.
Versão de Impressão
Sessão Plenária

PESQUISA DE NOTÍCIAS
Termo
Período
   


TV Assembleia

Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul - Praça Marechal Deodoro, 101 - Porto Alegre/RS - Cep 90010-300 - PABX (51) 3210.2000
Horário de atendimento: das 08:30 às 18:30